Liçoes.

Aprendi uma coisa depois de tanto tempo rodopiando em cima dos muros: Se entregar de verdade, por inteiro. Mesmo que em baixo esteja um tigre faminto a espera de te dilacerar. Certo que em algumas situações, me despedacei todo. Não aprendi a domar o tigre que estava a minha espera. Virei comidinha de algumas horas e pronto, me tornei uma carcaça descartável. Mas isso é o de menos, toda entrega tem uma consequência. Principalmente quando tudo vem de volta com carimbo de correspondência devolvida. Aprendi outra coisa: Se minha correspondência foi devolvida, é porque o outro não soube receber, não soube decifrar os paradigmas, não soube compreender minhas sensações. Por fim, não soube corresponder. E o correto é aceitar a correspondência devolvida com um sorriso no rosto. Afinal, não quero o insuficiente pra mim. Quero saciar minhas palavras no entender do outro. Quero pôr pra dormir o meu amor pelo menos, em um peito que o aceite. Não faz sentido enviar outra correspondência, ou outro torpedo. Não faz sentido cutucar outra vez no Facebook, ou entrar mais uma vez no Skype pra que seja notado. 
Blog.: Além do sol.
Iandê Albuquerque

Anúncios
por klawsdoher

Um comentário em “Liçoes.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s